É o que mostra um estudo conduzido por cientistas do Instituto de Cancro Dana-Farber, do Brigham and Women's Hospital, e da Escola de Saúde Pública de Harvard, nos EUA. Os resultados estão no New England Journal of Medicine.
 Os cientistas não conseguiram determinar quais os tipos de oleaginosas mais benéficas para a saúde - a redução na mortalidade foi similar entre consumidores de amendoim, castanha de caju, castanha do Pará, macadâmia, pistáchio, noz comum e noz pecan.
Os autores avisam que o estudo não tem como comprovar a causa e efeito. Mas lembram que a conclusão é compatível com outros estudos que mostram os benefícios do consumo de oleaginosas.