A Rússia e os Estados Unidos debateram como reduzir o tráfico internacional de drogas. A eficácia da cooperação das duas destacadas potências mundiais já foi comprovada com operações bem-sucedidas contra a narcomáfia nos hemisférios Oriental e Ocidental do planeta - declarou Viktor Ivanov.
"Nós alcançamos o nível de cooperação que nos permitiu passar para o planejamento concreto, sistemático e pratico e realização de operações estratégicas internacionais de coibição da infra-estrutura de contrabando de narcóticos, inclusive na direção russa. Em duas semanas antes de nossa conferência realizaram-se duas operações - uma do hemisfério Ocidental e outra no Oriental. Com nossa cooperação a polícia nicaraguense em conjunto com a salvadorenha, prendeu o grande narco-barão, apelidado de Guachinango, com o qual atualmente realiza-se inquérito. Ele organizava fornecimentos de grande envergadura de cocaína para o lado da Guatemala e na direção europeia, isto é, na russa também. Nós debatemos com os colegas esta operação. Em 28-29 de outubro, em interação do Serviço Federal da Federação Russa para controle da circulação de narcóticos (SFCN) e a Agência de Narcóticos nos EUA foram liquidados dois laboratórios de narcóticos, situados no norte do Afeganistão, na província de Basdakhshan, que eram especializados na direção russa. Foram retiradas quase cinco toneladas de narcóticos, equivalentes a ópio. Este é apenasr alguns fragmentos de nosso trabalho conjunto.
Além disso o SFCN da Rússia com os colegas estrangeiros realiza luta bem-sucedida contra a legalização dos lucros obtidos com narcóticos - informou Viktor Ivanov.
"Em janeiro de 2013, com o apoio de informação dos parceiros americanos foi realizada a extradição de grande narcobarão, um tal de Gulmadov, que era especializado em fornecimentos da heroína afegã à Rússia. O criminoso vivia nos Emirados Árabes Unidos. No entanto nós o descobrimos e conseguimos a extradição. Atualmente Gulmadov encontra-se detido em Moscou". Um segmento considerável da cooperação de especialistas russos e americanos é a organização de trablaho para a redução da procura de drogas, assinalou Viktor Ivanov.
"No âmbito deste trabalho os colegas norte-americanos concederam a possibilidade de visitarmos o centro de reabilitação que se chama The Village South (Aldeia do Sul), onde se tratam simultaneamente cerca de 400 consumidores de narcóticos para reabilitação, dos quais 150 estão internados e 250 passam por reabilitação em regime ambulatorial."
 Na Rússia existem cerca de 500 centros de reabilitação. Mas por enquanto eles funcionam fora dos padrões aprovados, porque a nível federal não existem tais programas. Por isso sua eficácia é insuficientemente alta, lamentou Viktor Ivanov. Hoje especialistas já elaboraram o programa estatal interdepartamental de reabilitação complexa de viciados em drogas. O programa foi coordenado com todos os departamentos e já está pronto para ser apresentado ao presidente da Rússia.