O senador declarou, falando para canal televisivo Fox News, que o acordo devia ter sido mais duro.
“Um acordo intermediário é inaceitável para o Congresso e para o povo norte-americano e, segundo espero, também para a comunidade internacional, disse. – Não o aceitaremos nem permitiremos que se transforme em acordo definitivo”.
Cardin duvidou também de que o Irã cumpra, de fato, suas promessas.

Análise da notícia

Primeiro -- O congressista está falando por si e não pelo Congresso, que pode não ter a mesma opinião;
Segundo -- Quando fala da "comunidade internacional", erra, pois  o "SEXTETO" que promoveu o acordo, representa a "comunidade internacional", o que ele quer dizer é a comunidade JUDAICO SIONISTA DE ISRAEL, só;
Terceiro -- Não fala em nome do povo americano, e nem do povo judeu, ele fala por si e pelos governantes de Israel, segundo as últimas pesquisas de opinião -- 80% dos americanos e 60% dos israelenses, são a favor de um acordo com os iranianos;
Quarto -- Quando diz que os iranianos podem não cumprir o acordo, está falando de si e dos judeus, pois o único pais que não cumpriu todas resoluções da ONU, encabeçadas pela que leva o No. 242, foi ISRAEL, -- Quatros décadas e meia depois de selada a paz entre israelenses e árabes, a resolução 242 do Conselho de Segurança da ONU continua sendo desrespeitada pelos judeus, fato inédito na história da diplomacia.
Nota-se ai, que o congressista senta em cima do próprio rabo e aponta o rabo dos outros, com um detalhe, ele tem rabo, os outros não!