"O documento londrino estabelece como principal tarefa a mudança de regime em Damasco, a Coalizão Nacional é definida como o único representante legítimo do povo sírio, aparece uma ameaça de recorrer a "todas as opções" para influenciar quem violar as "decisões de Londres". Se trata de um ameaça velada de voltar ao cenário do uso da força militar, o que é absolutamente inaceitável", disse Lukashevich.