Em maio de 2013, o Departamento de Estado dos EUA incluiu na lista de terroristas o chefe desse grupo, ligado à rede terrorista Al-Qaeda, Mohammad al-Golani. Anteriormente, Mohammad al-Golani tinha declarado que seu objetivo final era derrubar o governo atual na Síria e estabelecer a lei islâmica em todo o país. Seu grupo é responsável por uma série de ataques, incluindo os que envolvem homens-bomba.