A candidatura do presidente russo a Prêmio Nobel da Paz já foi apresentada ao Comitê Nobel, afirmam vários periódicos, em cuja posse está a carta oficial que contém a fundamentação detalhada desta iniciativa. A carta foi redigida pelo presidente do Fundo Pan-Russo de Educação, Serguei Komkov. O perito deste fundo, Oleg Sergeev, comentou a iniciativa da seguinte maneira:
“Na semana passada o presidente do Fundo Pan-Russo de Educação Serguei Komkov apresentou a ideia de conferir o Prêmio Nobel ao presidente da Rússia Vladimir Putin. A cessação da guerra no Afeganistão valeu o Prêmio Nobel a Gorbachev, Obama também recebeu este Prêmio por suas iniciativas de paz. Putin conseguiu uma reviravolta intelectual na garantia da paz no Oriente Médio e na Síria.”
Ao par da iniciativa de cientistas russos, os méritos de Vladimir Putin nas tentativas de resolver a crise síria são discutidas cada vez mais também na Europa. Por exemplo, na França já começou a coleta de assinaturas de uma petição, cujo conteúdo se assemelha muito à carta de Komkov. Nas ruas de Roma surgiram cartazes com o retrato do presidente russo e inscrição "Io sto con Putin" (Estou com Putin). A posição do presidente russo goza de grande popularidade e o próprio Putin tem reunido em seu torno um número cada vez maior de partidários, diz Pepe Escobar, correspondente do jornal Asia Times e autor do livro "Obama Does Globalistan" (Obama Cria o Globalistão):
“Eu gostaria que no mundo inteiro fosse realizado referendo dedicado a esta questão. Estou certo de que Vladimir Putin vai ganhar, mesmo sem fazer quaisquer esforços para isso.“
O Comitê Nobel informou que os nomes dos candidatos serão anunciados depois de 11 de outubro. Todavia, pode-se afirmar com toda a certeza que Vladimir Putin não será laureado com o Prêmio Nobel este ano, pois a admissão de respectivos requerimentos terminou ainda em fevereiro. Vamos saber mais tarde se ele receberá ou não esta condecoração prestigiosa no próximo ano e qual será o ulterior desenrolar de acontecimentos em torno da Síria.