Tal é a conclusão de jornalistas da agência "Reuters" que tentaram durante um ano e meio traçar o destino das crianças e adolescentes adotados nos Estados Unidos desde o exterior.

Entre os "sobreviventes" (ISTO SIGNIFICA QUE A MAIORIA
 SÃO ELIMINADAS), foi achada uma russa, que trocou de 
“FAMÍLIA” em três ocasiões em seis meses,
ela foi regularmente vítima de agressões sexuais..
Leia mais: http://portuguese.ruvr.ru/news/2013_09_12/nos-estados-unidos-existe-um-mercado-clandestino-de-criancas-adotadas-no-exterior-2646/