sábado, 3 de novembro de 2012

CHIPRE – O ÚLTIMO HERÓI PATRIOTA DA EUROPA – NÃO ABRIRÁ MÃO DE SUAS ESTATAIS



CHIPRE, O ÚLTIMO PATRIOTA DA EUROPA, NÃO ABRIRÁ MÃO DE SUAS ESTATAIS - Presidente do Chipre rejeita resgate com privatizações, como de outra feita, a Argentina o fez, e saiu-se bem, e por último REESTATIZOU seu PETRÓLEO, e está a crescer a 9% ao ano e de carona, está a cumprir seus compromissos com honradez, SEM PERDER SUA SOBERANIA, Demetris Christofias não repetirá a GRÉCIA, que privatizou e QUEBROU, não repetirá a ESPANHA, que privatizou e QUEBROU, não repetirá a IRLANDA, que privatizou e QUEBROU, não repetirá a ROMÊNIA, que privatizou e QUEBROU, não repetirá a ITÁLIA, que privatizou e QUEBROU, não repetirá PORTUGAL, que privatizou e QUEBROU. A Privatização trouxe a estes países, um desemprego que atinge 1\4 de suas populações, na Grécia a fome já atinge a que outrora fora a CLASSE MÉDIA.
CHIPRE não se tornará uma POSSESSÃO israelense na mão da MÁFIA DOS JUDAICO SIONISTAS, assim como estão a fazer no Brasil, que breve se tornará uma GRÉCIA GIGANTE!

Confira reportagem abaixo:

Tarja para o tema crise do euro
03/10/2012 - 12:04
Europa

Presidente do Chipre rejeita resgate com privatizações
Demetris Christofias diz que país não aceitará condições impostas pelos credores internacionais e que prepara contrapropostas
Bandeiras da União Européia e do Chipre, em Nicosia
Chipre vive sua primeira recessão em 40 anos (Patrick Baz/AFP)

O Chipre não aceitará um resgate de credores internacionais sob os termos atuais que estão sendo oferecidos, afirmou nesta quarta-feira o presidente Demetris Christofias. O endividado governo cipriota deve propor, segundo o político, formas alternativas de economia.

Dando o tom para duras negociações com credores, Christofias afirmou que nunca assinará um acordo de resgate que peça a venda de estatais rentáveis ou que acabe com aumentos salariais ligados à inflação.

Leia mais: Troika exigirá que a Grécia faça cortes já em 2013  

Um esboço de um programa de ajuste econômico preparado pela chamada ‘troika’ – Comissão Europeia (CE), Banco Central Europeu (BCE) e Fundo Monetário Internacional (FMI) – e entregue às autoridades locais no final de julho, pedia, entre outras coisas, o fim da indexação salarial, conhecida como 'CoLA', e um programa de privatizações. O documento de 29 páginas vazou no mês passado.

"Não estamos apenas dizendo 'não' a eles", disse Christofias em entrevista à emissora grega NET. "Estamos dando a eles contrapropostas. Elas estão sendo preparadas, estamos nos estágios finais e forneceremos em economias o tanto que eles (troika) querem", disse ele.

O Chipre buscou ajuda de seus parceiros na UE e do FMI em junho, após seus dois maiores bancos terem sofrido enormes perdas devido à sua exposição à Grécia, forçando-os a voltar-se ao governo em busca de ajuda.

A ilha, que luta contra seus próprios problemas fiscais e sua primeira recessão em quase 40 anos, pediu então um resgate abrangente.

(com agência Reuters)

Nenhum comentário:

Postar um comentário