quarta-feira, 22 de agosto de 2012

CHILE – TALIBANS COM PEDRAS E PAUS CONTRA A POLICIA E QUEIMAM 3 ONIBUS


CHILE – TALIBANS COM PEDRAS E PAUS CONTRA A POLICIA E QUEIMAM 3 ONIBUS

      Estudantes(TALIBANS) chilenos, usando armas fornecidas pelos Palestinos: PAUS E PEDRAS, queimam 3 ônibus em protestos, foram presos 75 estudantes(TALIBANS), a exemplo do Afeganistão que quem defende o país são os estudantes (TALIBANS), com a diferença que, lá quem apanha são os soldados da ONU, que está a serviço mercenário dos JUDEUS SIONISTAS, durante este ano mataram 219 soldados e destruíram milhões de dólares em armamentos, usando apenas BOMBAS CASEIRAS que são mais baratas do que uma PIZZA.
      Aqui no Chile o JUDAICO SIONISMO quer dominar o sistema de ensino, para simplesmente amordaçar o povo já na aurora da sua formação de caráter, e o melhor é começar nas escolas, para evitar que o Chile se liberte a exemplo do que fizeram, a VENEZUELA(Hugo Chavez), A BOLÍVIA(Evo Morales) E O EQUADOR(com o heroico Rafael Correa), de onde o MACABRO JUDAICO SIONISMO foi literalmente expulso, mas continua atraves da sua máquina de guerra mais eficiente: A MÍDIA SIONISTA, tentando desestabilizar os governos libertos com suas habituais mentiras maquiavélicas..

08 de agosto de 2012 • 21h35 • atualizado às 21h56

Uma taliban(ESTUDANTE) com aparência de menor de idade é presa por um truculento policial em frente aos ônibus em chamas durante protestos em Santiago

A capital do Chile viveu nesta quarta-feira um violento protesto estudantil e três ônibus públicos foram incendiados em meio aos confrontos entre a polícia e manifestantes que exigiam mudanças no sistema de ensino. Os veículos queimaram no transcurso de uma hora nos arredores do Parque Bustamante, no centro da capital chilena, onde a polícia deteve 75 pessoas e 49 agentes ficaram feridos, segundo a Intendência de Santiago.
De acordo com o Ministério dos Transportes, manifestantes encapuzados interromperam a passagem dos ônibus e obrigaram os motoristas e passageiros a deixar o veículo para, em seguida, incendiá-los. A televisão local mostrou imagens dos três veículos ardendo em chamas ao longo do Parque Bustamante, vizinho à Praça Itália, onde mais cedo mais de mil estudantes se reuniram para tentar marchar até a Praça Alameda.
Um forte contingente policial dispersou a manifestação não autorizada. Segundo os manifestantes, as reivindicações por uma profunda reforma educacional não são atendidas pelo governo. Depois de três advertências para dispersar pacificamente a manifestação, agentes das forças especiais da polícia começaram a atirar bombas de gás lacrimogêneo e a usar jatos de água contra os estudantes.
Os estudantes jogaram pedras e paus contra a polícia, que desde cedo patrulhava em grande número o local para evitar o protesto, o quinto do ano convocado por associações de estudantes do ensino médio e universitários. A Intendência de Santiago (governo) negou aos estudantes a permissão para marchar pela Alameda e sugeriu outros dois percursos para que realizassem sua manifestação, que não foram aceitos. No Chile é preciso pedir permissão para fazer passeatas pelas vias públicas.
Os estudantes, que no ano passado protagonizaram mais de 40 marchas por Santiago exigindo uma educação pública gratuita e de qualidade, consideram que o governo do direitista Sebastián Piñera não acolheu nenhuma de suas demandas. "Neste minuto não vimos nenhuma resposta das autoridades", comentou à imprensa o presidente da Federação de Estudantes da Universidade Católica, Noam Titelman.
Produto das reformas impostas pela ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990), que diminuiu para menos da metade os gastos públicos com a educação, o Chile conta hoje com um dos sistemas educacionais mais caros e desiguais do planeta. Piñera propôs uma série de medidas para reduzir o custo dos créditos destinados a pagar as altas taxas universitárias, mas não conseguiu mudar os pilares do sistema educacional chileno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário